Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 20.05.03
Sobre a notícia do adepto do Futebol Clube do Porto que morreu afogado em Sevilha, o comentário do meu marido foi o seguinte: "E quem terá ficado com o bilhete?"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:00

...

por Carla Hilário Quevedo, em 20.05.03
Correspondente da SRA, em Pequim



Propaganda atípica



Desta vez o embelezamento de Pequim não se faz com recurso à temática do Natal, que os chineses adoram em qualquer época do ano (afinal de contas, porque é que as árvores com luzinhas às cores hão-de ser só em Dezembro se é Natal sempre que o homem quiser?). Não. Pequim está enfeitada com múltiplas faixas e cartazes a apelar ao combate à SRA. As faixas vermelhas com os dizeres a branco são penduradas em pontes, passagens aéreas para peões, árvores, postes e suportes afins. O seu conteúdo "atípico" é bem mais evidente do que no caso dos cartazes publicitários em paragens de autocarro e outdoors gigantes no topo de muitos edifícios. Parecem anunciar apenas mais um produto de grande consumo, mas lá estão os dois caracteres "feidian", a abreviatura usada para dizer SRA em chinês e que significa "atípico", a denunciar o seu conteúdo mais... social?



As mensagens, bem ao estilo da Revolução Cultural, são qualquer coisa como: “As massas unidas combaterão a SRA”, “Juntos venceremos a doença”, "Vivam as enfermeiras e os médicos", "Lutemos por um bairro saudável", em tradução porventura mais fiel ao espírito do que à letra. O grande pai comunista encarrega-se de levantar o moral às tropas e garante-nos que o povo unido vencerá a SRA.



E o que pensa disto o povo assim unido? Entre amigos, taxistas, empregados de mesa, lojistas e transeuntes, numa amostra cuja margem de erro não será certamente de desprezar, a resposta é unívoca: tretas do governo. Desenganem-se, pois, os que pensavam estudar o fenómeno da mobilização das massas na China do século XXI... As massas não estão para aí viradas e, muito pelo contrário, desconfiam cada vez mais de tudo o que é oficial.



Que pena! Logo agora que eu pensava que estas faixas e cartazes até podiam ser uma boa exportação para Portugal, para pelo menos nos ajudar a boiar no meio da crise económica...



Nani, no meio deles todos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:49

...

por Carla Hilário Quevedo, em 20.05.03
Quero falar-vos do meu pipi. Do meu, não (lá chegaremos porque a falta de tema toca a todos); do dele.



Este rapaz escreveu que gostaria de fazer a Lourdes Norberto, o que me leva à teoria do meu marido que diz que o nível de heterossexualidade se mede pela qualidade das miúdas que se fazem. Ou seja, um homem é mais heterossexual se consegue (ou deseja) fazer a Lourdes Norberto ou a Dina Aguiar (sugiro que a próxima seja a Inês Pedrosa). Quanto mais feias, velhas, gordas, repulsivas e burras melhor. Este fenómeno de hiper-heterossexualidade passa-se durante a adolescência e começa a esmorecer (ou a apaneleirar-se) a partir dos trintas. Quanto mais os homens avançam na idade, mais requisitos exigem das raparigas: que sejam bonitas, tenham umbigos perfeitos, unhas dos pés arranjadas, orelhinhas nha nha nha, e que sejam inteligentes, letradas, cultas, tenham boas maneiras etc. (bocejo). Esta teoria do meu marido está prestes a passar a verdade absoluta (resta-nos a comprovação do Pipi). Por tudo isto declaro que o Pipi é o gajo mais heterossexual da blogosfera! Bem-vindo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:53

...

por Carla Hilário Quevedo, em 20.05.03
Breve diálogo com o meu adorado pai (médico):



- Pai, parece que há agora umas drogas novas para o Alzheimer, preventivas da doença, para a memória...

- A única maneira de prevenir o Alzheimer é morrer antes de a doença se manifestar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:04

...

por Carla Hilário Quevedo, em 20.05.03
O caso da ghost-writer Alexandra Solnado nem me provoca grande vontade de rir. O meu sentido de distância tem um ponto fraco - as doenças mentais. E se não há distância, não pode haver humor. A psicótica Solnado já não vive há um ano entre nós, os neuróticos. Olha, menos uma (tentativa de piada totalmente falhada, como se esperava).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:28