Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 21.06.04
Passear pela blogosfera é bom e faz crescer



- Leio no Seta Despedida que o Opiniondesmaker faz hoje um ano. Como não consigo ver a data do primeiro post, acredito na Alexandra e mando daqui um ganda beijinho para o bendito menino!

- Também o Avatares de um Desejo e o Tempo Dual cumprem um ano de blogosfera hoje. Muitos parabéns!

- Esperámos 23 anos pelo verbo "aljubarrotar". Agora que o temos, graças ao Francisco, nunca mais o podemos largar. A manter!

- No meio de gelados de limão com sumos de maracujá e manga e chocolate, conversei com a Rititas e Mr. Pinheiro, vindos de borgas de sardinha e saladinha de pimentos, frescos e bem dispostos. Já conhecia o Mr. Pinheiro, companheiro pastilhador. Fiquei agora a conhecer a encantadora Rita. Bis em Agosto!

- O Alberto mostra-se como é e admite não gostar de iogurtes. A sério? Mas como é isso possível? Nem uns com pedaços de frutos silvestres fantásticos que têm o mesmo sabor há quase 30 anos? Estranho mesmo essas coisas da infância que ainda existem. Quanto a não gostar de Agustina Bessa-Luís, nem sei o que dizer! Shame on you!

- O Malícia-de-Mulher apresenta um site engraçadíssimo de gatos que olham para outros gatos. Ou que olham para qualquer coisa ou para nada.

- O Américo fala dos amigos num texto curto e bonito, sem precisar de muito para dizer as coisas certas.

- E finalmente a verdade revelada: o Senhor Carne é esquizóide. Olha, olha, tell me something new.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:59

...

por Carla Hilário Quevedo, em 21.06.04
Coisas importantes



Primeiro era Marlon Brando em On the Waterfront. Homem mais interessante no ecrã não houve durante muito, muito, muito tempo. Marlon Brando era de tal maneira intenso na sua exibição de testosterona que nenhuma mulher podia ficar indiferente a tanta heterossexualidade. Quando vi Benicio del Toro, em Traffic, pensei que o carisma tinha finalmente voltado ao ecrã, embora eu tivesse uma paixoneta secreta pelo abrutalhado Harvey Keitel (iniciada no filme Bad Lieutenant, de Abel Ferrara). Brad Pitt (maravilhoso em Meet Joe Black) e George Clooney (na série ER) estão no mesmo degrau que Marlon Brando: no de cima. Ontem, apareceu mais um desses homens: o árbitro Andres Frisk. Não há nenhum jogador que lhe chegue às meias bem puxadas. E um pormenor que me parece engraçado: ontem, o jornalista da TVI dizia que o Presidente da UEFA tinha criticado a actuação de Frisk, classificando-a de "demasiado exuberante". José Mourinho, muito bem, elogiou Frisk e considerou-o um dos melhores árbitros do Campeonato. As gajas giras apoiam sempre as gajas mais giras.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:33

...

por Carla Hilário Quevedo, em 21.06.04
"There's a certain satisfaction and a little bit of pain*"



Até à data, assisti a três jogos completos do Campeonato Europeu. A saber: Portugal-Grécia (porque foi o primeiro e a curiosidade era muita); Inglaterra-França (porque as hipóteses de ser um jogo excelente eram muitas); e ontem, o nosso Portugal-Espanha. Mas vejo quase sempre os primeiros minutos dos jogos. Passados dois a cinco minutos, vou-me embora, porque o futebol aborrece-me. Ontem, passaram cinco minutos e sentei-me. Aquela equipa não foi a mesma que jogou contra a Grécia, pois não? E muito menos a coisa mole, com pouca força nas canetas que jogou contra a Rússia (deste jogo vi os primeiros 2,5 minutos)? Ontem, aquilo parecia uma equipa... e uma equipa que corria! Fiquei maravilhada e sofri até ao último minuto. Claro que a contribuição do árbitro Andres Frisk (conhecido cá em casa pelo "Engatas") ajudou a que ali ficasse sentadita no sofá, mas disso falarei noutro post. A satisfação real foi dada pelos comentários do José Mourinho (sim, porque eu sou uma intelectual) e disso o maradona já disse o essencial. Finalmente alguém de jeito a comentar um jogo de futebol! Quero dizer... acho, porque futebol é coisa que não vejo. Seja como for, bravo TVI! E é uma satisfação ganhar à Espanha. É sempre uma satisfação ganhar à Espanha, seja lá no que for. É mais forte que nós, pronto. A única coisa que me custa é agora termos de continuar a ouvir os disparates de miúdo mimado do Figo nas conferências de imprensa ("ai se não sei de cinema, não falo de cinema, nha nha nha") - o Eduardo explora bem essa questão teórica -, temos de continuar a levar com os issues de Figo. Olha, paciência. As divisas também não vão entrar no País. Olha, paciência. Vale a pena e o som da televisão pode nessa altura ser posto no mínimo. Quanto ao dinheiro, não podemos perder o que nunca tivemos.



* Erotica, Madonna.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:06