Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 16.11.05
Notícias da frente da segunda série de Carnivàle: caríssimos Cláudia e Luís, há uma pessoa entre nós que sabe quem é Management. E não vai falar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:19

...

por Carla Hilário Quevedo, em 16.11.05
The sound of bomba: no iPod nano do bomba, Jump, de Madonna. Para dançar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:41

...

por Carla Hilário Quevedo, em 16.11.05
Bomba de Ouro: "Não é que me sinta ofendida. Mas chateia-me que seja essa a intenção", Mal Amada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:28

...

por Carla Hilário Quevedo, em 16.11.05
O menino da mamã e da avó (24)

Já há uns meses que a série O menino da mamã e da avó está interrompida. Para quem não saiba trata-se de um work in progress (que por este andar, só daqui a uma série de anos termino), em que registo as minhas impressões sobre a leitura de Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust. A edição que estou a ler é a da Relógio d'Água, com tradução de Pedro Tamen. Aproveito para agradecer as mensagens enviadas (do género: "atão, melher, o Proust?") e dizer que as leituras vão boas, embora o tempo não tenha sido muito para escrever sobre o assunto.

Por causa deste post da Sara, voltei a entusiasmar-me com o menino. Como aquecimento, gostaria de contar que Marcel Proust e James Joyce se encontraram uma única vez na vida. Que se saiba, claro. O episódio é contado em How Proust Can Change Your Life, de Alain de Botton: "In 1922, both writers were at a black-tie dinner given at the Ritz for Stravinsky, Diaghilev and members of the Russian Ballet, in order to celebrate the fist night of Stravinsky's Le Renard. Joyce arrived late and without a dinner jacket, Proust kept his fur coat on throughout the evening and what happened once they were introduced was later reported by Joyce to a friend: 'Our talk consisted solely of the word «Non». Proust asked me if I knew the duc de so-and-so. I said, «Non». Our hostess asked Proust if he had read such and such a piece of Ulysses. Proust said, «Non». And so on.' After dinner, Proust got into his taxi with his hosts, Violet and Sydney Schiff, and without asking, followed them in." (120)

A descrição do encontro é muito engraçada e absolutamente credível. Mas fiquei curiosa com aquele "reported by Joyce to a friend". Joyce terá contado esta história a um amigo. Ora parece-me haver aqui dois problemas: o de Joyce a contar seja o que for e o do amigo, que amigo, afinal? Fui à procura do relato do encontro na biografia de James Joyce, escrita por Richard Ellmann. No jantar em cima mencionado, estava também presente William Carlos Williams (and why the hell not?), que conta que Joyce e Proust se terão queixado das suas maleitas: "Joyce said: 'I've headaches every day. My eyes are terrible'. Proust replied, 'My poor stomach. What am I going to do? It's killing me. In fact, I must leave at once'. 'I'm in the same situation,' replied Joyce, 'if I can find someone to take me by the arm. Goodbye.' 'Charmé,' said Proust, 'oh, my stomach'. Numa nota, Ellmann refere que Mrs. Schiff, a anfitriã, nega que a conversa tenha acontecido desta maneira. Margaret Anderson escreve que a conversa foi breve e que tanto Proust como Joyce afirmaram desconhecer a obra um do outro. E depois, Joyce conta a história a três pessoas diferentes: Arthur Power, Jacques Merchanton e Frank Budgen. De maneira diferente a cada um deles, claro: "Joyce told Arthur Power that Proust asked him if he liked truffles, and Joyce answered, 'Yes, I do'." A Jacques Merchanton, Joyce conta: "Proust (...) would only talk about duchesses, while I was more concerned with their chambermaids." A Budgen, Joyce conta a história mencionada por Alain de Botton e acrescenta: "Of course the situation was impossible. Proust's day was just beginning. Mine was at an end." (James Joyce, Richard Ellmann, pp. 508-509.) O episódio do táxi é desenvolvido, mostrando um Proust muito picuínhas, cheio de frio e fugidio e um Joyce um pouco bêbado e ansioso por conversar. E no final: "Proust died on November 18, 1922, and Joyce attended his funeral." Nunca saberemos o que realmente aconteceu. É irrelevante.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:17

...

por Carla Hilário Quevedo, em 16.11.05
Eu hoje acordei assim...

Image Hosting by PictureTrail.com
Madonna, por Steven Klein

... a cantar: "Are you ready to jump?/ Get ready to jump/ Don't ever look back, oh baby". Confessions on a Dancefloor é excelente!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:51