Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 28.07.06
Estado em que se encontra este blogue: Todaloo! Bom fim-de-semana!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:42

...

por Carla Hilário Quevedo, em 27.07.06
Para o Jansenista: uma pepita de ouro (Fatboy Slim, That Old Pair of Jeans). (Outras versões com serious juggling e coro de vozes; uma versão feminina graciosa, com demonstração de força e equilíbrio; heavy juggling from dusk till dawn e ainda com alguns efeitos especiais.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:35

...

por Carla Hilário Quevedo, em 27.07.06
Para o Je Maintiendrai: Sir Christopher Walken (Fatboy Slim, Weapon of Choice) como agradecimento por um belíssimo e generoso post, com memórias deliciosas e um inesquecível encontro de Alice.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:30

...

por Carla Hilário Quevedo, em 27.07.06
Nas bancas!

Image Hosting by PictureTrail.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:12

...

por Carla Hilário Quevedo, em 25.07.06
Estado em que se encontra este blogue

Image Hosting by PictureTrail.com
Monica Bellucci

O trabalho nas minas complica-se. Já cá venho!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:52

...

por Carla Hilário Quevedo, em 25.07.06
Soprano Talk (2)

Image Hosting by PictureTrail.com

Terei ouvido Vito Spatafore a dizer, no velório de Gene, a seguinte frase: "[Junior Soprano] marvingayed his own nephew"? Um episódio muito triste. Quase parecia Six Feet Under Revisited! Julgávamos nós que a família Fisher era disfuncional! Depois a cena do sonho: não gosto, pronto. Mas isso sou eu que tenho as minhas coisas e não acho graça à mistura; se T. fosse uma pessoa normal, yada, yada, yada e não sabe quem é, yada, yada, yada. Mas voltando a to marvingay, salvo erro, o significado tem a ver com a história da morte do cantor Marvin Gaye, assassinado pelo pai (se não me falha a memória), porque este não entendia um problema menor do filho com umas coisas que parece que se aquecem numa colher e depois... Adiante, to marvingay your own nephew não faz grande sentido dado que o verbo já implica uma história (de um pai que dá um tiro no filho) e um significado e introduzir a questão do tio/sobrinho, parece-me levar-nos ao perigoso caminho do oxímoro, mas isso sou só eu a escrever em voz alta. Além de que Junior de nada se lembra (isso deve contar para a interpretação?): "Se alguém enfiou um balázio no meu sobrinho, foi ele mesmo. É um deprimido."Já pensei se terá sido o tio o autor do assassínio de Marvin Gaye. Nessa altura, teríamos uma redundância, muito apropriada ao bronquíssimo Vito, que está tão a pedi-las que até mete impressão! Christopher descansa o agente que apanhou uma doença qualquer no Paquistão, dizendo que não querem saber de terroristas e que até estão dispostos a ajudar. Nem a M.! Se bem que, segundo me lembro do que aprendi em O Padrinho, a decadência começou com a venda de droga. Hmm... terrorism could be the new heroin? Come back, Tony come back...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:40

...

por Carla Hilário Quevedo, em 25.07.06
Paulo: o cast é magnífico. Também não vou perder!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:35

...

por Carla Hilário Quevedo, em 24.07.06
Passei os olhos pelo programa Opinião Pública na SIC Notícias: pela minha saúde que ouvi um professor universitário a dizer que os judeus ficavam todos muito bem no Novo México! Depois um anti-semita primário a dizer que não-sei-quê mataram Jesus, a ligar directamente das cavernas. Tenho de repensar esta história da defesa da liberdade de expressão... Não deixo de me espantar como na Europa supostamente civilizada, democrática e livre, haja quem apoie a barbárie e aponte o dedo a quem é atacado e se defende. Uma vergonha.

Aproveito a pausa no trabalho (tenho poucos intervalos) para responder ao caro HMBF. Não há nada a provar. O que se passou foi um acto de guerra: o rapto de dois soldados israelitas pela guerrilha do Hezbollah. A actos de guerra responde-se com actos de guerra. Por isso o conceito de desproporcionalidade é mera poeira hipócrita que anda por aí a circular. Servirá afinal muito bem aos que pensam que a guerra é uma brincadeira. A guerra é uma coisa horrível, em si desproporcionada, em que morrem civis. Infelizmente, já não há campos de batalha. Ou melhor, neste caso, o campo de batalha foi escolhido pelo Hezbollah.

O HMBF pergunta: "O Hezbollah, e os hospedeiros libaneses, só passaram a ser uma ameaça depois de terem raptado 2 soldados israelitas?" A sua pergunta leva-me a pensar que acredita (embora segundo o que escreve, perceba que não será essa a sua intenção) que Israel, perante a mera ameaça, deve agir; ou seja, já devia ter bombardeado o Líbano há muito tempo. Olhe, até concordava... Mas qual das duas partes escolheu o momento? O que o leva a pensar que terá sido Israel?

Adenda: a ler este post no Kontratempos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:14

...

por Carla Hilário Quevedo, em 24.07.06
Eu hoje acordei assim...

Image Hosting by PictureTrail.com
Kate Moss

... ora, o equilíbrio é importante e alguma flexibilidade é precisa. Adorei! Ainda não vi, mas deve ser muito giro. Entretanto, o HMBF sugere que a "nossa" (vossa) bomba inteligente (ah, não mereço ser tão amada) vá num pacote com outras para Israel. Pois se fosse útil e de facto explodisse, tenho a dizer-lhe que iria. E como boa bomba, cairia em cima dos refúgios do Hezbollah, sem provocar danos colaterais, nem eliminar libaneses inocentes que albergam terroristas... Mas para alegrar, que tudo isto já é suficientemente horrível, quero ser primeiras a participar no Primeiro Concurso de Verão do Impensável: sim, foi um gentleman, porque controla o seu impulso inicial e fica-se por um empurrão facial, obviamente efectuado porque há um colchão (que não vemos) que ampara a queda. Katharine Hepburn, por seu lado, é uma lady perfeita. Por ter partido um único taco de golfe e no seu próprio joelho, em vez de o fazer, por exemplo, na cabeça de Cary Grant.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:08

...

por Carla Hilário Quevedo, em 23.07.06
Coisas que melhoram algumas vidas (45)

1) por exemplo, de arquitectos;
2) de leitores curiosos pela correspondência dos outros;
3) de amantes de todo o tipo de dicionários.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:13

Pág. 1/12