Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 07.10.07
Distorci completamente: pelas duas e picos da manhã terei percebido mal certa frase. Parece cedo mas o estado em que se encontrava este blogue já não era o mais adequado a fixar nuances no discurso. Apresento as minhas desculpas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:12

...

por Carla Hilário Quevedo, em 07.10.07
Coisas que melhoram algumas vidas (88)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:57

...

por Carla Hilário Quevedo, em 07.10.07
A Drinking Song
by W.B. Yeats

Wine comes in at the mouth
And love comes in at the eye;
That's all we shall know for truth
Before we grow old and die.
I lift the glass to my mouth,
I look at you, and I sigh.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:51

...

por Carla Hilário Quevedo, em 07.10.07
Agora é que é a música favorita de sempre

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:48

...

por Carla Hilário Quevedo, em 07.10.07
E só mais uma música preferida de sempre

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:47

...

por Carla Hilário Quevedo, em 07.10.07
Outra música preferida de sempre

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:41

...

por Carla Hilário Quevedo, em 07.10.07
Uma música preferida de sempre

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:32

...

por Carla Hilário Quevedo, em 07.10.07
Eu hoje acordei assim...


Angelina Jolie

... ontem os All Blacks perderam contra a equipa francesa. Foi um dia histórico para o râguebi mundial; os franceses devem estar histéricos e a Nova Zelândia perdida numa enorme tristeza. Eu vi o jogo do princípio ao fim e posso garantir que foi emocionante. Torci os oitenta minutos pelos All Blacks. Nunca vi uma coisa assim. Rapidíssimos, muito fortes, persistentes, davam a ideia de estar todos a pensar exactamente como um só. Pareciam sofisticados, não sei bem explicar. Mas depois aconteceu uma coisa. É sempre assim: de repente, acontece uma coisa... A dada altura, julgo que no segundo tempo, a sorte mudou, entrou um francês careca muito fresquinho que desatou a correr mais rápido do que uma bala e que fez um passe que permitiu à França passar à frente no marcador. Fiquei triste. Os neo-zelandeses no banco tinham os olhinhos demasiado brilhantes para o meu gosto. Então? Eu em casa posso chorar mas a melhor equipa do mundo não, que diabo! Viva os All Blacks!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:48