Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 24.11.07
Educação musical (22)


(Querida Rititi, é certo que estou no teu limite, quase, quase a ser recambiada para Santos beber copos - não, por favor, não! - mas do alto dos meus 19-20 anos diverti-me imenso a dançar I couldn't ask for another, no I couldn't ask for another...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:33

...

por Carla Hilário Quevedo, em 24.11.07
Eu hoje acordei assim...


Sharon Tate (fotografia indecentemente roubada de uma página-caviar destacada pelo Alexandre Soares Silva)

... nunca tive medo das pessoas. Medo de quê, afinal? Só os misantropos têm medo dos outros. Bem sei que a etimologia não permite que vejamos medo no que é ódio - aquele mis vem de misós que significa ódio - mas se pensarmos bem, o que é o ódio se não uma espécie de medo terrível por qualquer coisa completamente independente de nós e que não podemos controlar? Só por causa deste medo injustificado e descabido, o ódio nunca deve ser encarado com respeito. Devemos desrespeitar todos os que odeiam. Contar anedotas a respeito de misóginos impotentes, por exemplo, parece-me um bom começo. Mas é importante não confundir um misantropo com um totó. Às vezes parece que estamos perante um simples inapto, um ser inocente e inexperiente que mete os pés pelas mãos quando o que temos à frente é uma criatura completamente incapaz de amar o próximo, a família, os amigos, e mesmo quem nunca viu mais magro (por vezes é mais fácil amar o que nunca se viu; o facto de isto ser um bocadinho doentio é um mero pormenor). Tem de haver uma óptima desculpa para odiar alguém. Caso contrário, não passa de doença e medo, muito medo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:19