Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 28.01.08
As mentiras mais frequentes

O jornal britânico Daily Mail divulgou o resultado de um inquérito a 2500 pessoas sobre o tipo e o número de mentiras ditas diariamente. Concluindo que a média diária é de quatro, resta analisar o tipo de mentira que se diz. Em primeiro lugar na lista ficou o clássico «está tudo bem». Em que situações dizemos tal coisa? Quando de forma amável, mas igualmente mentirosa em grande parte dos casos, se pergunta «como vai a vida». Mentirola com mentirola se paga. Mas não havendo consequências nefastas, qual é o problema da resposta que peca talvez por ser pouco exacta? Na verdade, trata-se de uma resposta de cortesia a uma pergunta também de cortesia. Ambas podiam ser substituídas pela palavra «olá», cujo grau de verdade não passa pela cabeça medir. A resposta depende ainda da intimidade que se tem com quem pergunta. Se partir de um amigo preocupado, com certeza diremos um bocadinho mais, quem sabe até se a verdade. Mas a pergunta «como vai a vida» não obriga a uma resposta verdadeira. E se não houver obrigação de dizer a verdade (porque não apetece, por exemplo), a resposta pode à mesma ser equiparada a uma coisa vil como uma mentira?

Publcado na Tabu, Cinco Sentidos, 26-01-08.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:30