Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 30.01.08
"Oh, that's rather drastic, isn't it dear?"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:05

...

por Carla Hilário Quevedo, em 30.01.08
"Perhaps you were never introduced to a lobster"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:54

...

por Carla Hilário Quevedo, em 30.01.08
"Because, because, because, because, becaaause!"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:32

...

por Carla Hilário Quevedo, em 30.01.08
Virilidade em 1957

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:16

...

por Carla Hilário Quevedo, em 30.01.08
Talvez: não digo o ostracismo - e depois para onde ia? - mas um belo raio fulminante...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:32

...

por Carla Hilário Quevedo, em 30.01.08
Mas também é isto: "Psychoanalysis should not be promoting knowledge as a consolation prize for injustice." Idem, desta vez na página 44.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:27

...

por Carla Hilário Quevedo, em 30.01.08
É um bom bocado isto: "We are born in turbulent love with the world, which is assumed to be made for us, of a piece with our wishes; then we suffer the humiliation of disillusionment, in which our rage is the last vestige of our hope. And then, if we are lucky - if we have the character, or the right parents, or both - we accommodate to the insufficiencies. We become the heroes and heroines of our enlightened adaptation to the way the world is. Psychoanalysis, in other words, confirms the traditional view that in fact we have been born into the wrong world, but for some reason - salvation, moral well-being, pleasure, genetic transmission - we must try to make the most of it." Adam Phillips, The Beast In The Nursery, na página 37.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:55

...

por Carla Hilário Quevedo, em 30.01.08
Mais de 24 horas depois: de assistir a um violento ataque à personalidade (mais que chocha) de Othello (uma espécie de bombardeamento sumário que aplaudi em silêncio), decidi que o problema não é bem dele. Embora haja sem dúvida uma estupidez profunda em Othello, que o leva inevitavelmente à prática do mal (a estupidez e a maldade estão relacionadas, acreditem), a nossa atenção deve ser toda dedicada a Iago. Iago é o diabo e Othello não tem capacidade para o reconhecer. Acontece imenso. Isso não significa que castiguemos a vítima para toda a eternidade, por muito cúmplice que esta seja.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:41