Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A não perder

por Carla Hilário Quevedo, em 28.05.08

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:07

Aretha Franklin - I Say A Little Prayer

por Carla Hilário Quevedo, em 28.05.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:52

Stevie Wonder - Yesterme Yesteryou Yesterday

por Carla Hilário Quevedo, em 28.05.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:42

Dois minutos e quarenta e seis segundos de puro génio a meio da tarde

por Carla Hilário Quevedo, em 28.05.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:31

Eu hoje acordei assim...

por Carla Hilário Quevedo, em 28.05.08

Audrey Hepburn

 

... Pilar, bom dia.

- Charlotte! Há tanto tempo!

- Ouça lá isto: I'm happier than the morning sun / And that's the way you said that it would be...

- É uma maravilha! Mas a Charlotte sabe que não precisa de pôr o disco a tocar e depois pôr o auscultador perto das colunas, não sabe?

- A sério? Então?

- Pode enviar a música pelo telemóvel, por e-mail, e tenho aqui um pacote muito jeitoso...

- Et tu, Pilar? A tentar vender alguma coisa?

- Sabe que os combustíveis estão pela hora da morte.

- E o que é que isso tem a ver...

- Ouvi a Manuela Ferreira Leite a dizer que não podem baixar, de maneira nenhuma, nem pensar, com uma tal veemência, que parecia haver nela uma ânsia de dizer a verdade que muitas vezes não traz nenhum bem.

- É preciso ter cuidado com a verdade, é verdade.

- Como diz a Iris Murdoch. E Platão.

- Mas porque é que a Pilar está a ficar com todas as observações pertinentes?

- A Charlotte é que manda neste diálogo.

- Dizia a Murdoch que a verdade é pequena. Assim mesmo, small. Estou mesmo a ver alguns intelectuais portugueses confrontados com este brilhantismo no discurso. Iam logo dizer que precisava de desenvolver a ideia!

(Riem ambas muito)

- Sabe que o barroco...

- É uma chatice? Mas a Murdoch desenvolve - se desenvolve! - mas sempre na maior das simplicidades, é delicioso. Como figados de ganso.

- O Nietzsche dizia que era preciso deixarmo-nos de explicações.

- E não é que gostei tanto de ler isso? Tinha razão, diabo do homem.

- E a Charlotte conhece esta obra-prima? Mary wants to be a super woman / But is that really in her head.
- Mas a Pilar sabe que não precisa de pôr o disco a tocar e depois pôr o auscultador perto das colunas, não sabe?

- Que gracinha...

- Por acaso acho que a banda sonora para o caso MFL/preço dos combustíveis/verdade é mais esta: There ain't no reason for us sittin' down / To try to talk our problems out / 'Cause we know the truth / It ain't no use...

- Mas é uma canção de amor, Charlotte!

- Não interessa. A Pilar acha que lhe liguei para lhe falar destas coisas?

- Errr... Não, a Charlotte só me liga quando acaba algum blogue de que gosta muito.

- Cá está. E logo o Bandeira ao Vento. Estou indignada!

- E fala em razões...

- Mas não explica, o que é bom. Mas não é nada bom ir embora! Aliás é um disparate! Uma ofensa! Vou partir uma série de bibelôs inúteis! Estou a ter um ataque de fúria, Pilar!

- Ai... Sabe que a ira...

- Não me chateie! A cabeça do Bandeira numa bandeja de prata! Ninguém sai daqui!

- Errr... Então, mas sem cabeça como é que depois continuava a blogar?

- A Pilar anda a falar muito. E já sabe que quem muito fala...

- Acaba a falar da subida do preço dos combustíveis...

- Nem mais, Pilar. Nem mais...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:33