Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Rádio Blogue: Visitas íntimas

por Carla Hilário Quevedo, em 23.01.09

A partir de agora, os reclusos homossexuais vão passar a poder receber visitas dos seus companheiros, beneficiando assim do mesmo direito dos reclusos heterossexuais. O anúncio da aprovação desta medida em Conselho de Ministros surge pouco depois de o Partido Socialista fazer a promessa eleitoral de reconhecer o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. E assim os homossexuais ganham um renovado interesse por parte dos socialistas. Não esqueçamos que há uns meses o PS votou contra dois projectos-lei sobre este tema, com a desculpa de que se tratava de um assunto que merecia ser debatido na sociedade civil. Com ou sem debate, a orientação sexual de cada um não pode ser motivo de discriminação, porque é um tema privado, que, como tal, só diz respeito aos próprios. Tal como a xenofobia, o racismo, a misoginia e o anti-semitismo, a homofobia é uma forma de divisão irracional. Neste sentido, é exactamente a mesma coisa do que odiar alguém por ter uma opinião diferente da nossa. Posto isto, só um aspecto me causa perplexidade: por que razão se insiste em institucionalizar a homossexualidade? Um casal gay casado merecerá menos recriminações por parte da sociedade? A paz na prisão ganha-se à custa de visitas dos companheiros gay? E se forem vários companheiros?

 

Publicado hoje no Meia-hora. Deixe a sua opinião através do número 21 351 05 90 ou no Jazza-me Muito. Os comentários que chegarem até quinta-feira, dia 29, às 15h, vão para o ar na Rádio Europa na sexta, dia 30, às 10h30.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:24