Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



E agora vou dormir

por Carla Hilário Quevedo, em 19.02.09

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:12

Bomba-correio

por Carla Hilário Quevedo, em 19.02.09

O meu querido amigo Zé Diogo enviou-me este vídeo. Os norte-coreanos também são capazes de não existir. Além dos japoneses, digo. Arigato!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:10

Bomba de Ouro

por Carla Hilário Quevedo, em 19.02.09

Não mexam no meu Maomé, João Miranda. Adenda: a ler esta notícia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:51

Última hora!

por Carla Hilário Quevedo, em 19.02.09

O governo argentino expulsou o bispo Richard Williamson do país. E apesar de a personagem ser abjecta, não acho nada bem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:38

Ora, para que serve isto?

por Carla Hilário Quevedo, em 19.02.09

Isto serve para pôr uma série de coisas lá dentro, como, por exemplo, um texto de Michel Chaouli, que pode ser descarregado e devidamente transportado para a esplanada; em vez de estar a ser impresso, coisa que faz muito mal às árvores. E este dia lindo não tem mesmo explicação porque afinal de contas estamos em Fevereiro e ainda devia haver chuva e frio e vento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:14

Eu hoje acordei assim...

por Carla Hilário Quevedo, em 19.02.09

Grace Kelly

 

... numa conversa inesquecível, aconteceu ser posta em causa uma escolha minha - errada, por sinal - que trouxe consequências desagradáveis ao grupo. Defendi-me lembrando os vários erros de cada uma dessas pessoas e invocando o inevitável "ninguém é perfeito, e por vezes enganamo-nos". A resposta não tardou: o problema é que os outros confiam em quem tem um currículo com poucos enganos deste tipo (que são os únicos importantes porque podem levar ao verdadeiro atraso de vida). Volto a tentar a defesa: "às vezes acontece, e parecia uma boa pessoa". Lá reúno alguma compaixão neste tribunal temível, mas mesmo assim sou obrigada a dizer a verdade toda: sim, havia uma vaga impressão de que não era uma boa pessoa pois manifestava uma brutalidade desadequada, sentimentos mesquinhos e um fiozinho de inveja à mistura. Tudo, enfim, o que acabaria por se revelar em todo o seu esplendor na altura certa. Mas não havia outra forma: era preciso testar as vagas impressões e a maneira de o fazer era expor a criatura aos tigres. Pois a tigresa mais jovem respondeu que preferiam ter sido deixados em paz porque agora restava esta espécie de carcaça insuportável e não sabiam o que fazer com ela. E que a culpa era minha, naturalmente. Não deixa de ter razão. Serei menos curiosa - e menos perversa - para a próxima.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:33