Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 28.04.09

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:43

"I tell ya, it's a whole different sex!"

por Carla Hilário Quevedo, em 28.04.09

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:25

Bomba de Ouro

por Carla Hilário Quevedo, em 28.04.09

Encontraram a Maddie

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:23

Daphne

por Carla Hilário Quevedo, em 28.04.09

Por falar em eleições europeias e extreme makeover, noto que a imprensa britânica arranjou substituta para a precocemente desaparecida Jade Goody, princesa chorada a baba e ranho pelo povo dependente de reality-shows. Trata-se da recente estrela Susan Boyle. À primeira vista, impressionam as semelhanças com Jack Lemmon no clássico de Billy Wilder, Some Like It Hot. É no momento em que começamos a perguntar por Tony Curtis que Susan Boyle abre a boca e começa a cantar. A espécie de milagre que comoveu o mundo em geral e o temível júri do programa Britain’s Got Talent em particular corre um risco sério de ter uma explicação médica enfadonha como excesso ou insuficiência de hormonas. Mas seria terrível se tal acontecesse. Há que defender que Susan Boyle é um ser um tanto excêntrico com um dom especial. Uma pessoa de extremos em todos os sentidos da palavra. Não é uma crueldade julgar a aparência antes de ouvir a voz. Sobretudo naquele contexto em que se pretende escolher o próximo Robbie Williams (que até nem fica nada mal de saias). O mais difícil já Susan Boyle tem: o talento. Agora é só uma questão de dieta e cabeleireiro.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 24-4-09.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:19

Educação mundana

por Carla Hilário Quevedo, em 28.04.09

No minuto a seguir a Manuela Ferreira Leite anunciar a sua escolha para o cabeça-de-lista do PSD nas eleições europeias choveram críticas ao nome apontado. Parece que Paulo Rangel é tão dotado e eloquente e espantosamente brilhante que o seu destino a curto prazo só podia passar por ficar quieto e sossegado em Portugal – ou melhor: em São Bento – a discutir com os membros do governo. Outras vozes críticas consideraram Rangel um fraco candidato porque os portugueses não o conhecem. Pois já se sabe que as pessoas só votam em quem conhecem bem – só espero é que não votem naquelas que conhecem bem demais – sobretudo quando se fala do Parlamento Europeu. As urnas costumam rebentar quando o objectivo é enviar gente para Bruxelas. É um corrupio que só visto! Permitam-me que reflicta em voz alta. Não tenho especial simpatia por Paulo Rangel. Sobretudo depois de uma entrevista ao Sol em que revelou insensibilidade e falta de sentido e humor. Mas deixemos isso para trás. Manuela Ferreira Leite escolheu bem o candidato. Paulo Rangel já provou ser bom no que faz. Só lhe falta um pouco mais de mundo. Agora precisa de viajar.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 24-4-09.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:08

É isto

por Carla Hilário Quevedo, em 28.04.09

"A girl who does not wish for the interesting believes in repetition. Honor to the one who was such a person originally, honor to the one who became that in time." Soren Kierkegaard, Repetition, III 189, p. 148.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:01