Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ah ta-tá!

por Carla Hilário Quevedo, em 19.07.09

Starfish in a rock pool in Jeffreys Bay, South Africa. Do sítio do costume.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:56

Blockbomba

por Carla Hilário Quevedo, em 19.07.09

The Unborn (um mau filme com um bom exorcismo). Good Night, and Good Luck (excelente).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:53

É isto

por Carla Hilário Quevedo, em 19.07.09

"Do my two previous paragraphs seem effortless to you? Do you suppose I revised and reworked them several times, or did they just roll out, like the barrel in the famous barroom song? And whence did that roll-out-the-barrel simile derive? Did it come from the same place where notes of music go, or was it the result of deep struggle, emerging only after bullets of sweat formed on my forehead, allowing me to force it into life? If I may say so, it’s none of your damn business." Joseph Epstein, aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:23

I love TPM

por Carla Hilário Quevedo, em 19.07.09

"How can we decide whether it’s morally wrong to laugh at South Park?"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:21

Desta esquerda não temos

por Carla Hilário Quevedo, em 19.07.09

"This week's cute endangered animal is the kangaroo rat."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:19

Eu hoje acordei assim...

por Carla Hilário Quevedo, em 19.07.09

 

Marilyn Monroe ou Passagem do tempo por um banco do jardim de S. Amaro* copyright

 

... já fui mais generosa nestas coisas. Talvez seja culpa do tempo, que não tem outro remédio senão passar. E nós com ele. Há muito que reservo só para mim aquilo que mais me interessa. Um bocadinho à maneira do magnânimo descrito por Aristóteles, que parece nunca se preocupar muito com o que mais o interessa. A proposta é magnífica: deixar o  que mais importa em paz. O resto pode ser usado à exaustão. Simpatizo com esta ideia de que o mais importante não deve sequer estar muito presente. É a velha história do Eu sabia que isto estava escrito em qualquer sítio. Mas hoje, como acordei generosa, vou contar um breve episódio da vida de Alexandre. Parece que Filipe II da Macedónia perdeu o interesse pela mulher quando viu uma cobra aos seus pés. Era bem capaz de ser Hércules disfarçado, pois havia muito este hábito entre os deuses de se transformarem em gatinhos ou em galinhas consoante os seus interesses. O mais engraçado, parece-me, é Filipe II se desinteressar, não por causa da alegada infidelidade de Olímpia, mas porque a mulher teria um acesso aos deuses que o excluía. O Rei não sai muito bem visto. Se o problema dele era não fazer parte de algo que desconhecia, então o seu comportamento pouco tem de viril. Filipe II amuou. Tudo serve para enaltecer Alexandre, que era um ser absolutamente perfeito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:01