Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Todos os dias

por Carla Hilário Quevedo, em 28.07.09

Não sei se o mesmo acontece a todos os que se divertem a ler. Quando por causa de uma recomendação de alguém amigo e com bom gosto literário, leio um livro de um autor muitíssimo conhecido e percebo que é excelente, sinto quase sempre pena ou culpa por não ter lido aquilo tudo há mais tempo. É uma sensação estranha ter chegado tarde à obra de Patricia Highsmith. Mas tarde como? Nunca é tarde para descobrir uma grande escritora. Ou é? Ultrapassada a questão frívola, não concordo com os que consideram Patricia Highsmith uma grande autora de policiais. É uma desconsideração por um espírito genial. Quaisquer dúvidas sobre esta afirmação podem ser eliminadas com a leitura de Little Tales of Misogyny, um livrinho pequenino, com contos curtinhos sobre os tipos de mulheres que conhecemos e evitamos, na vida e na literatura. A forma concisa ajuda à crueldade, que a autora explora sem pudor. Estas mulheres ou são más e escapam, ou são boas e estúpidas e não escapam. A descrição das protagonistas parece despachada nas duas frases iniciais do primeiro parágrafo, e é tudo tão simples que parece fácil. Ah, e o humor de Patricia Highsmith é perfeito.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 24-7-09.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:03

Eu hoje acordei assim...

por Carla Hilário Quevedo, em 28.07.09

 

Sophia Loren 

 

... isto não pode ser. Estarei a ler bem? Teoria da conspiração e mito urbano? Dois em um? As notícias andam à solta, é o que vos digo. Ainda bem que temos a conferência de José Sócrates com a presença dos "principais bloguistas do país", segundo anunciou a SIC - did you say bloguistas? - mais conhecida por BlogCofCofCof (ou BlogCof, para os mais rápidos), que ninguém viu, a não ser os que lá estavam. Mas moderno que isto não há. Pessoas tão ilustres como o maradona ou o João Miranda ou mesmo o Abrupto. Já para não falar da vossa bomba preferida de toda a vida e além fronteiras, pois claro. Ai, não estavam? A sério? Parece que só em espírito, isso sempre. Já sabíamos que está tudo bastante fora de si, é o Verão e o calor e água gelada, ou como resume o maradona com o brilhantismo que o caracteriza: "realmente, tudo isto (a própria vida também) é um escândalo"; no entanto, nada como uma bela confirmação. E o episódio Amaral Dias-Sócrates também me divertiu imenso. Quem mente é a pergunta boring. Já porquê é mais estimulante. Será um caso para Sherlock Holmes? Entretanto, voltando à BlogCofCofCof, fascinante é ainda o espanto de muitos por José Sócrates ter estado quatro horas seguidas - it's Superman! - a trabalhar. Estafante, coitadinho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:54