Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O meu voto...

por Carla Hilário Quevedo, em 24.09.09

... nunca poderia ir para um candidato que move processos judiciais a jornalistas e se lança num ataque desenfreado a um noticiário televisivo. Muitas pessoas acham isto normal porque "somos todos iguais". São aqueles que, afinal, se ocupassem aquele lugar e nas mesmas circunstâncias, fariam a mesmíssima coisa. Aqui está uma boa razão para não votarmos em candidatos parecidos com os nossos vizinhos.  Isto não tem nada a ver com igualdade de direitos. É uma questão política. São ainda capazes de ser os mesmos que não vêem nada de especial no apoio do actual governo português à eleição de um anti-semita primário para a Unesco. Achille Lauro, anyone? Como se precisássemos de mais cerejas podres em cima do bolo. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:11

Contra as maiorias absolutas

por Carla Hilário Quevedo, em 24.09.09

Sou contra a maioria absoluta de qualquer partido na Assembleia. O exemplo que tivemos durante estes últimos anos deve chegar para que se perceba que uma maioria absoluta funciona como uma espécie de mini-ditadura em democracia. Um governo em minoria é obrigado a conversar com os outros, a ouvir os outros, a defender as suas propostas, a negociar. Em suma: é obrigado a trabalhar. Com maioria, só tem de decidir. E não, não depende de quem governa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:57

Duas ou três coisas

por Carla Hilário Quevedo, em 24.09.09

Esta campanha eleitoral não foi nem melhor nem pior que as anteriores. Foi a maçada do costume, felizmente interrompida pelo magnífico Gato Fedorento Esmiúça os Sufrágios. E mesmo que noutras eleições já tivesse aparecido a palavra "arruada", só por estes dias percebi que até escrita é uma palavra assustadora. Mas houve dois pontos importantes nestas eleições. Primeiro, há muito tempo que não tínhamos dois candidatos ao lugar de Primeiro-ministro tão diferentes um do outro. Assim não há dúvidas sobre os programas de cada partido. Espero que Manuela Ferreira Leite ganhe as eleições.

 

O segundo foi a completa exposição do programa do Bloco de Esquerda. Os mais ingénuos ou distraídos, que julgavam haver o mínimo de sentido nas propostas do BE, ficaram esclarecidos quanto às suas ideias mirabolantes para o País. Espero que na segunda-feira não acordemos no meio de um pesadelo coligatório, que só vai servir para nos atrasar a vida mais uns anos. E espero que o CDS/PP conquiste o terceiro lugar com um bom resultado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:50