Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Eu quero

por Carla Hilário Quevedo, em 23.10.09

Johann Zoffany, The Tribuna of the Uffizi, 1772-8, Royal Collection, Windsor

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:46

Blogooooooooooonnnnnn, Jansenista!

por Carla Hilário Quevedo, em 23.10.09

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:37

Rádio Blogue: José Saramago

por Carla Hilário Quevedo, em 23.10.09

As declarações de José Saramago sobre a Bíblia, os castigos do Colégio Militar ou as chuvas torrenciais dos últimos dias foram os temas que mais ocuparam a comunicação social. O plano de vacinação da Gripe A também mereceu destaque mas o assunto tem vindo a perder força à medida que a população sossega. Vamos lavando as mãos mais vezes que antes e vamos rezando por o H1N1 não estar logo naquele corrimão da Loja do Cidadão. Depois do caso Polanski e do caso Maitê tivemos o caso Saramago, que parece não ter fim. Saramago não é nada fã da Bíblia e fez questão de o dizer, como sempre faz, convencido de que ninguém lê este livro. Pelo menos neste aspecto parece estar certo: poucas pessoas lêem a Bíblia. Talvez o Prémio Nobel tenha dado uma ajuda no sentido de levar as pessoas a querer perceber se o escritor tem ou não razão quando diz que «a Bíblia é um manual de maus costumes». Seria interessante saber se houve um aumento de vendas de bíblias nas livrarias depois deste episódio. Ou se as pessoas compraram a Bíblia e o novo romance de Saramago ao mesmo tempo. Seja como for, o caso Saramago é mais interessante que o caso Maitê, apesar de não ser tão complexo como o caso Polanski. Alguns comentadores classificaram as declarações de Saramago como semelhantes às de Maitê Proença. Discordo desta análise. Um Prémio Nobel, nem que seja muito desagradável, tem mais importância que uma actriz de novelas, por mais bonita que seja. A tentação de aproximar os dois casos e de os resumir a «patetices que as pessoas dizem por aí» é grande para todos os que não suportam Saramago. Mas ao nivelarem o Prémio Nobel (por baixo, naturalmente), retiram-lhe a importância e a responsabilidade que tem, a capacidade de influência que pode ter, e sobretudo tratam da mesma maneira assuntos diferentes. É por Saramago não ser Maitê que o debate sobre a leitura da Bíblia é interessante e até pode ser útil, quem sabe. O que pensa das recentes afirmações de José Saramago?

 

Publicado hoje no Metro. Deixe a sua opinião através do número 21 351 05 90 ou no Jazza-me Muito. Os comentários que chegarem até quinta-feira, dia 29, às 15h, vão para o ar na Rádio Europa na sexta, dia 30 de Outubro, às 10h35.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:07

Eu hoje acordei assim...

por Carla Hilário Quevedo, em 23.10.09

Carmen Electra

 

... ando com um tema muito, muito mau na cabeça. Estou a falar de uma coisa abaixo do trash-pimba. Mas não é a canção toda: é só uma frase, um bocado do refrão: I want to live in Ibiza. E depois mais nada. Não chega a ser um otoverme porque não consigo sequer reproduzir a melodia. Mas a frase é boa porque imagino logo Ibiza, um sítio bonito fora da época estival, e gosto. O tempo entretanto mudou como era esperado. Tenho adorado os temporais românticos, as chuvas intensas, os ventos fortes. E hoje é o último Esmiúça. Não podia ser tudo bom.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:52