Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ah ta-tá?

por Carla Hilário Quevedo, em 15.02.11

 Mathieu Le Nain, Allégorie de la Victoire, 1635

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:25

Destaque

por Carla Hilário Quevedo, em 15.02.11

Blogue dos Cafés*

 

* Está tudo a marcar o dia 24 de Fevereiro na agenda, certo?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:23

When a problem comes along

por Carla Hilário Quevedo, em 15.02.11

You must whip it

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:22

Relaxa, Cameron

por Carla Hilário Quevedo, em 15.02.11

O tema do multiculturalismo voltou a dar que falar. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou que a política de tolerância multicultural foi um fracasso. Os grupos terroristas islâmicos, que recrutam muçulmanos nascidos e educados na Europa, seriam uma prova deste insucesso. Independentemente de ser verdade ou não o que afirma, não deixa de ser interessante que a frase tenha sido dita precisamente num momento em que o Médio Oriente vive tempos de revolta. Na minha opinião, o momento para fazer o anúncio foi muito mal escolhido. Ou talvez David Cameron se tenha deixado levar pelo pessimismo, tendo sido incapaz de conter o que lhe ia na alma. Ainda é cedo para sabermos os resultados da reviravolta egípcia, mas não duvido de que o mais sensato é esperar. Temos tempo para entrar em pânico, caso os motins populares confirmem os nossos piores receios. Mas renegar a tolerância cultural, uma das poucas coisas das quais ainda nos podemos orgulhar na Europa, é feio. E até me surpreende que este desabafo tão pouco fleumático e excessivamente inseguro tenha logo vindo de Inglaterra. É uma pena verificar que os conservadores já não são o que eram.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 12-2-11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:18

Sedução verde

por Carla Hilário Quevedo, em 15.02.11

No âmbito da exposição Sexual Nature, o Museu de História Natural londrino recebe até 2 de Outubro sete micro-metragens escritas, realizadas e interpretadas por Isabella Rossellini. Numa entrevista ao Guardian, a actriz explicou como passou de mera observadora de aves e curiosa pela vida animal em geral a contadora de histórias privilegiada. Tudo começou com a ideia de contar, em filmes breves, a história da vida sexual de animais conhecidos de todos. Rossellini apresentou três episódios da série Green Porno ao Festival de Sundance e Robert Redford gostou. Dificuldades em patrocínio levaram ao abandono do vocábulo «porno» e assim apareceu o título Seduce Me para outra série mais concentrada nos rituais de acasalamento que na vida sexual dos animais não humanos. Apesar do politicamente correcto, o patrocínio não apareceu. Mas a falta de financiamento não impediu a actriz de insistir na sua ideia. Os primeiros episódios chamaram de imediato a atenção dos profissionais por causa do seu rigor científico. Dois cientistas que propuseram colaborar com Rossellini fazem hoje parte da equipa. Green Porno e Seduce Me devem ser vistos online, no Sundance Channel.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 12-2-11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:11