Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dos Antigos

por Carla Hilário Quevedo, em 08.03.11

Sir Joshua Reynolds, Cupid Undoing Venus's Belt, 1788

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:11

Gordos no paraíso

por Carla Hilário Quevedo, em 08.03.11

Um estudo publicado na revista The Lancet mostra que a taxa de obesidade no mundo tem aumentado nas últimas três décadas, sobretudo nas ilhas tropicais. O país mais gordo do mundo é a República de Nauru. As ilhas Cook, Tonga, Samoa, a Polinésia Francesa e a República de Palau seguem de perto. Várias ilhas do Caribe, incluindo as Bermudas, Porto Rico e São Cristóvão e Nevis também se incluem na categoria de obesos. A explicação não é complicada. São ilhas pequenas, há pouco  descobertas como paraísos turísticos. Primeiro importaram a comida dos países colonizadores e depois a que os turistas pediam: a fast-food. Habituado a trabalhar muito e a comer pouco embora bem – peixe, fruta, etc. – o metabolismo dos autóctones enlouqueceu. Ainda por cima, exibir um corpo bem nutrido nestas regiões é sinal de riqueza e poder. Os queques eram gordos, os betinhos queriam engordar e os pobres enchiam a barriga para serem aceites pelas boas famílias. O mais interessante é a solução proposta pelos investigadores ser a educação alimentar e a promoção da vida saudável. Digo interessante porque, se não funciona na América nem na Europa, por que carga de água haveria de funcionar no paraíso?

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 4-3-11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:06

Rancor e estupidez

por Carla Hilário Quevedo, em 08.03.11

Quando apareceram as caricaturas de Maomé, que tantos distúrbios provocaram, Trey Parker e Matt Stone incluíram no South Park um urso a representar o profeta. Era uma maneira humorística de evitar uma jihad. Zachary Adam Chesser, um americano da Virgínia convertido na adolescência ao islamismo, sentiu-se ofendido. Fez uma campanha a incitar ao homicídio dos autores da paródia. Divulgou as moradas de ambos e sugeriu a distribuição aleatória de pacotes suspeitos para desorientar a Polícia na busca de uma bomba de verdade. Tinha contactos com a al-Qaeda no Iémen e tentou ir para esse país encantador. Chesser foi condenado a 25 anos de prisão. Nas alegações finais, o procurador acrescentou que o delito não se resumiu às ameaças de morte, mas em ter provocado o medo no exercício da liberdade de expressão. O que me leva à pergunta de difícil resposta: como é que um rapaz que cresce numa sociedade livre é seduzido pela versão monstruosa de uma religião ancestralmente civilizada? Não pode ser fé, e uma explicação psiquiátrica é compreender demais. Só o ressentimento e a frustração, com muita estupidez à mistura, explicam a aberração. E mesmo assim não chega.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 4-3-11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:56