Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dos Modernos

por Carla Hilário Quevedo, em 28.05.13

René Magritte, La durée poignardée, 1938

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:07

A última fronteira

por Carla Hilário Quevedo, em 28.05.13

Em breve, será posta à venda nos Estados Unidos uma nova edição do Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (DSM-5), publicada pela Associação Americana de Psiquiatria. A nova edição do DSM reaviva polémicas sobre o excesso de definir comportamentos menos comuns como doenças ou a ganância dos laboratórios farmacêuticos de adaptarem velhos medicamentos a novos sintomas e vice-versa. Eu, profana mas curiosa, fico fascinada com o relatório de condutas excêntricas ou patológicas organizado por mais de 1500 especialistas baseados no estudo de milhares de pacientes nos Estados Unidos. Acredito na utilidade do DSM como referência. Ao mesmo tempo, aceito que é efémero. O cérebro humano é uma complicação. E se é certo que a História nos mostra que se fazem sempre as mesmas perguntas, a verdade é que as respostas continuam a ser diferentes, inadequadas, inúteis ou assustadoras. A cabeça dá muito que pensar.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 24-5-13

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:04

Surpresa no Parlamento

por Carla Hilário Quevedo, em 28.05.13

Só em Portugal pode haver surpresas em votações no Parlamento. Refiro-me à votação do projecto-lei que defende a co-adopção de crianças por casais do mesmo sexo. A possibilidade de co-adoptar os filhos adoptivos ou biológicos da pessoa com quem estão casados ou com quem vivem em união de facto é, na minha opinião, uma medida justa e de bom senso, que protege estas crianças do desamparo legal em caso de doença ou morte do pai ou mãe biológicos ou adoptivos. Fiquei surpreendida por ver o projecto-lei aprovado, mas a maior surpresa foi perceber que nem os próprios deputados estariam à espera do resultado. Isto revela que terá havido poucas conversas de bastidores para fazer passar a votação. Os deputados votaram de acordo com a sua consciência e assim mostraram uma verdade que não é habitual vermos em governantes e políticos. Como se estivesse por fim ao alcance de cada um ali corrigir uma injustiça. Estão de parabéns.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 24-5-13

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:59

Eu hoje acordei assim...

por Carla Hilário Quevedo, em 28.05.13

Sophia Loren

 

... a pensar na violência de ontem do Prós e Contras e no bullying exercido por Marinho Pinto. Uma vergonha! Pelo menos, o ónus da estupidez não recai sobre a direita, como é habitual. Há que ver o lado positivo disto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:42