Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Gosto de ti

por Carla Hilário Quevedo, em 30.04.14

Na visita à Austrália e à Nova Zelândia, a duquesa de Cambridge usou um vestido amarelo vivo e ouviu um piropo do marido. Segundo Kate Middleton, o príncipe William terá dito que a mulher “parecia uma banana”. Pelo que li na imprensa inglesa, ninguém gostou do elogio. Sarah Rainey, no Telegraph, criticou o gosto de moda do príncipe, como se William quisesse fazer uma avaliação do vestido. Danae Mercer, no mesmo jornal, quis dar uma aula aos homens sobre como elogiar as mulheres. Gostaria de defender o príncipe William, que teve graça na sua observação atrevida. Se Kate parecia uma banana, toda amarela e fresca, o desejo seria o de lhe tirar a casca e dar-lhe uma mordidela. Perante as interpretações cinzentonas, há que esclarecer. Não queremos conhecer as piadas privadas do casal. Mas a ambiguidade sexual está lá para quem a quiser e puder ver. William só disse que gostava de Kate e que não se importava nada de a conhecer melhor. Outra vez.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 24-4-14

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:46

Probabilidades

por Carla Hilário Quevedo, em 30.04.14

Um artigo curioso na Economist revela alguns dados sobre as probabilidades de sermos vítimas de homicídio. A primeira boa notícia vai para as mulheres. As probabilidades de serem assassinadas ficam reduzidas, a não ser que se casem ou vivam no Japão ou na Coreia do Sul. Uma vez que as mulheres não se dedicam tanto a actividades criminosas, correm menos riscos. As vítimas femininas morrem às mãos dos maridos ou namorados. Sobre os homens, o melhor é não viver nos Estados Unidos nem em África. Devem ainda evitar as Honduras, o país mais violento do mundo, em que é morta uma pessoa em 1.100, segundo dados das Nações Unidas. Bom também é envelhecer. Quanto mais velho, menos hipóteses há de ser assassinado. Tinha de haver uma vantagem. Excepto, calma, se viver na Europa. Aí o perigo espreita de novo às mulheres com mais de 60 anos que tiverem companheiros. Como combatemos as probabilidades? Vai tudo viver para a segura Singapura. Cada um na sua casa.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 24-4-14

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:42