Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Uma ou três

por Carla Hilário Quevedo, em 02.12.14

IMG_6188.JPG

No Museu Calouste Gulbenkian pode ser vista uma exposição generosa intitulada A História Partilhada: Tesouros dos Palácios Reais de Espanha. As obras reflectem a história que se cruza entre Portugal e Espanha em acontecimentos como guerras ou casamentos. As ligações entre os dois países são visíveis nos retratos dos membros das famílias reais, reunidos numa árvore genealógica muito útil logo à entrada. Há duas alternativas para fazer a visita: com um guia conhecedor dos protagonistas e da História ou sem ninguém a limitar os seus passos. Aconselho as duas maneiras e mais uma. A primeira visita pode ser de reconhecimento do local e deve servir para prestar homenagem a um Tiziano (Ecce Homo), um Caravaggio (Salomé com a cabeça de São João Baptista) e dois Goya (Fábrica de Balas e Fábrica de Pólvora). A segunda deve ser feita com o guia. Aconselho uma terceira visita a quem quer demorar o seu tempo a ver a armadura deslumbrante de Carlos V.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 28-11-14

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:07

Boçalidade ao rubro

por Carla Hilário Quevedo, em 02.12.14

Julien Blanc é um suíço de 25 anos a quem foi negada a entrada no Reino Unido. Uma petição com 150 mil assinaturas e uma acusação de sexismo e promoção da violação levaram o Governo britânico a tomar uma decisão que até agora só fora aplicada a terroristas ou a militantes nazis. Blanc, de aspecto normal, auto-intitula-se um conquistador de mulheres e mestre do engate. Cobra pelas palestras e pelas ‘aulas práticas’. A técnica é simples: desplante, assédio, bullying, uma violência controlada em que pareceria estar a brincar, não fosse a grosseria dos seus gestos. Claro que se as raparigas estão bêbedas, os métodos ganham em eficácia. O homem é detestável mas não sei se negar-lhe o visto é uma boa solução. A escritora Jojo Moyes sugeriu no Twitter que as mulheres comprassem todos os bilhetes e que se sentassem a rir dele. Gosto da parte de ir à palestra, mas rirmo-nos dele é demasiado subtil. Devíamos fazer alguma coisa mais contundente, não acham?

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 28-11-14

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:05