Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 21.06.04
Coisas importantes



Primeiro era Marlon Brando em On the Waterfront. Homem mais interessante no ecrã não houve durante muito, muito, muito tempo. Marlon Brando era de tal maneira intenso na sua exibição de testosterona que nenhuma mulher podia ficar indiferente a tanta heterossexualidade. Quando vi Benicio del Toro, em Traffic, pensei que o carisma tinha finalmente voltado ao ecrã, embora eu tivesse uma paixoneta secreta pelo abrutalhado Harvey Keitel (iniciada no filme Bad Lieutenant, de Abel Ferrara). Brad Pitt (maravilhoso em Meet Joe Black) e George Clooney (na série ER) estão no mesmo degrau que Marlon Brando: no de cima. Ontem, apareceu mais um desses homens: o árbitro Andres Frisk. Não há nenhum jogador que lhe chegue às meias bem puxadas. E um pormenor que me parece engraçado: ontem, o jornalista da TVI dizia que o Presidente da UEFA tinha criticado a actuação de Frisk, classificando-a de "demasiado exuberante". José Mourinho, muito bem, elogiou Frisk e considerou-o um dos melhores árbitros do Campeonato. As gajas giras apoiam sempre as gajas mais giras.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:33