Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 23.08.05
O menino da mamã e da avó (12)

É possível que estejam a pensar - muito provavelmente desde o começo desta leitura - porque é que o primeiro volume se chama Do Lado de Swann. Afinal de contas, é um título um pouco estranho (como quase todos), se o virmos assim desgarrado do seu contexto. A resposta está no final da página 143, continuando pelo início da 144: "É que havia em torno de Combray dois «lados» para os passeios, e tão opostos que, com efeito, não saíamos de casa pela mesma porta quando queríamos ir para um lado ou para o outro: o lado de Méséglise-la-Vineuse, a que se chamava também o lado de Swann, porque se passava diante da propriedade do senhor Swann para ir para lá, e o lado de Guermantes." Mais à frente, na página 145, percebemos que para ir pelo lado de Méséglise (ou de Swann) não era preciso sair cedo de casa. O passeio era curto e tão interessante como ir do Jardim das Amoreiras ao Rato (sem dúvida muito bonito, mas não esplendoroso). Já o lado de Guermantes era outra conversa: "Se era bastante simples ir para o lado de Méséglise, coisa diferente era ir para o lado de Guermantes, porque o passeio era longo e queríamos ter a certeza do tempo que iria fazer." (175) O lado de Guermantes promete.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:23