Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 14.05.07
Eu hoje acordei assim...


Marilyn Monroe

... encontrei nas minas um livro pequenino de Amos Oz, Contra o Fanatismo, e comovi-me com o último texto, o único aliás que li desse livro e também do autor, que desconhecia. Tenho de pôr aqui uma citação que substitui perfeitamente qualquer tipo de comentário. No outro dia, depois de ter visto uma entrevista na televisão a um embaixador, fiquei a pensar que nunca poderia ser duas coisas na vida: diplomata e política. A primeira porque teria de reproduzir a opinião vigente, enchendo sempre o discurso com informações irrelevantes e a segunda porque teria de ter uma flexibilidade de opinião e uma capacidade extraordinária de adaptação à mudança, coisa que me falta, confesso. Mudando de assuntos, Freud (são 24 volumes, tenham lá paciência) diz que o mais interessante de tudo é o ego. Concordo, claro. No ego estão as conclusões, as falhas ou o que vai restando, o que sobrevive. E mudando mais uma vez, belíssimo relato, caras Miss Woody e Miss Allen.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:27