Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Donald e Margarida

por Carla Hilário Quevedo, em 28.06.08

 

Na mais recente edição da Vanity Fair, Daniel Adel apresentou este magnífico Pato Donald sexy. Como gostei tanto da imagem, fui à procura dela no Google para poder publicar aqui, e descobri que tem uma referência - a reportagem fotográfica com Miley Cyrus, a estrela da série para adolescentes da Disney, Hannah Montana. Annie Leibovitz fotografou Miley Cyrus para a edição passada e, se bem me lembro, havia umas imagens um bocado sinistras com o pai. Mas voltando à ilustração - muito mais interessante do que a fotografia - depois da associação evidente entre os estúdios da Disney que promovem a jovem actriz (e que secretamente adoraram a reportagem de Leibovitz) e a pose em que ambos se encontram, o que me parece encantador é a escolha do Pato Donald e não de outra personagem da Disney. Não podia ser outra, aliás, porque se corria o risco desnecessário de ofender Miley Cyrus. Não podia ser o Rato Mickey, nem o Pluto, nem o Peter Pan. Além disso, duck, em inglês, é uma forma carinhosa de tratar as raparigas. Mas também não podia ser a Margarida, a eterna namorada do Donald, porque não é emblemática e facilmente reconhecida por todos. Podia passar por um patinho qualquer e Miley Cyrus é uma espécie de Britney Spears morena; ou seja, é importante para a Disney e está longe de ser um patinho qualquer. Mas do que gosto mesmo é das pestanas do híbrido Donald. Há ali uma espécie de Margarida. Lembro-me de perguntar em miúda qual era a diferença entre Donald e Margarida. Sem roupa, sem laço nem boné não havia como os distinguir. Daí a memória das pestanas. O sexo feminino caracterizava-se por umas pestanas exuberantes que o macho não tinha. Se repararmos bem, este Donald Duck é a carinha chapada da Miley Cyrus. É um retrato.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:01