Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Incentivo ao implante

por Carla Hilário Quevedo, em 07.07.08

 

Não há adolescente que não queira ser igual a uma das agora cinco raparigas do grupo Pussycat Dolls. A dificuldade em escolher a heroína passa apenas pela cor do cabelo, dado que fisicamente todas têm o mesmo tipo de corpo, medem e pesam o mesmo. Nicole Scherzinger distingue-se porque é a única que canta. A expressão «são todas iguais», repetida por profissionais do despeito, pode neste caso ser aplicada mas literalmente. No mais recente vídeo do novo tema When I Grow Up, as Pussycat Dolls saltam por cima de carros e dançam numa espécie de andaime baixinho. Percebemos a ineficácia de uma das bailarinas, menos filmada porque se atrasa na coreografia, ao contrário da lourinha de cabelo curto, que estica a perna e faz um ângulo de mais de noventa graus, e que aparece sempre à frente, ao lado da mentora do projecto. A letra repetida à exaustão azucrina qualquer ouvido. A mensagem é clara: quando for crescida quero ser famosa. A dada altura ouço: «When I grow up / I wanna have boobies». Confirmada a letra vejo que a palavra certa é groupies. O engano é justificado pelas imagens, pela dicção muito ambígua naquele passo do refrão e pela certeza de que tudo é possível.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 5-07-08.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:13