Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Público pouco profissional

por Carla Hilário Quevedo, em 25.01.11

Apesar da pompa habitual na cerimónia da entrega dos Golden Globes, um prémio decidido pelos membros da imprensa estrangeira, o mais relevante este ano foi a apresentação de Ricky Gervais. As suas piadas e os comentários não caíram bem junto da aristocracia de Hollywood. Parece que falar mal de Angelina Jolie e Johnny Depp, insinuar a homossexualidade de dois dos seus membros mais publicitados, Tom Cruise e John Travolta, lembrar a vida atribulada de Robert Downey Jr. e Charlie Sheen, e mencionar um escândalo de subornos abafado, não foi boa ideia. Ora, o mais extraordinário deste incidente é que quem contrata Gervais sabe quem está a contratar. O humor do inglês sempre foi manifestamente cruel, escatológico, obsceno e, muitas vezes, brilhante. Se queriam a elegância de Steve Martin, a insolência consensual de Jon Stewart ou a frescura de Tina Fey só tinham de os contratar. Também me parece muito insólito que profissionais do espectáculo se escandalizem como se fossem espectadores comuns. Esses ao menos pagam bilhete. Isto para não dizer que nestas coisas é sempre melhor ser ridicularizado ou mesmo insultado que ignorado. Pelo menos é o que dizem.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 15-1-11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:53