Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ganhar a vida

por Carla Hilário Quevedo, em 26.04.11

Não é tema de conversa para um jantar civilizado, mas a verdade é que há trabalhos repugnantes e impensáveis. Há pessoas que limpam dejectos, guardas prisionais em países subdesenvolvidos, gente que procura materiais recicláveis no lixo… Enfim, há muitas tarefas difíceis. A Lapham’s Quarterly fez na sua última edição online uma lista bizarra dos trabalhos a que uma parte da humanidade se dedicou ao longo da História. Os serviços estão divididos entre níveis de risco e tédio, repugnância e aborrecimento. Entre os mais perigosos encontramos, sem surpresa, os provadores de comida. No binómio perigoso e nojento temos os colectores de sanguessugas. Andavam nos pântanos para que os bichos se agarrassem às suas pernas. Depois tiravam-nos com delicadeza e levavam-nos intactos aos médicos. Servir nos banquetes dos imperadores romanos está incluído nas tarefas nojentas e entediantes. Tinham de manter a sala de jantar limpa de vómito e segurar nos recipientes onde os convidados urinavam. De todos os trabalhos da lista, o menos mau é o moderníssimo empurrador de pessoas para dentro das carruagens do metro de Tóquio. É antipático, mas ao menos é limpo.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 21-4-11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:20