Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



"Oh, poetry, yes, yes, yes, this is what I want, not words"

por Carla Hilário Quevedo, em 27.10.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:31

Poem

por Carla Hilário Quevedo, em 27.10.08

(To A)

I shall miss you so much when I’m dead

The loveliest of smiles

The softness of your body in our bed

 

My everlasting bride

Remember that when I am dead

You are forever alive in my heart and my head

 

Harold Pinter - Granta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:21

Uma pessoa acaba por dizer o que não quer

por Carla Hilário Quevedo, em 27.10.08

"One of my patients had a dream which struck him as interesting, for immediately after waking he said to himself: "I must tell the doctor that". The dream was analysed and produced the clearest allusions to a liaison which he had started during the treatment and which he had decided to himself not to tell me about."

 

Sigmund Freud, "Absurd Dreams - Intelectual Activity In Dreams", The Standard Edition of the Complete Works of Sigmund Freud, volume V, p. 446.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:20

Tex Avery - The First Bad Man (1955)

por Carla Hilário Quevedo, em 26.10.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:33

O génio de Tex Avery

por Carla Hilário Quevedo, em 26.10.08

 

Um documentário sobre Tex Avery à disposição de quem se interessar. Continua na segunda parte, na terceira, quarta e quinta. Eu amo o YouTube.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:15

Eu hoje acordei assim...

por Carla Hilário Quevedo, em 26.10.08

Ava Gardner

 

... cara f., finalmente aqui estou. Pois as fotografias antigas têm muitas vezes esse efeito de nos assustar, como num filme de terror, como a f. diz. Mas eu era assim? é uma pergunta que fazemos quando olhamos ao espelho quando já não vemos aquela miúda de dez anos (as minhas referências de memória raramente são da adolescência, é curioso - lembro-me com frequência de quando era muito miúda, mas tenho poucas memórias - ou invoco pouco esses fantasmas - dos meus 17 anos). A questão talvez seja que não vejo outra coisa (e algo me diz que isto não é nada bom), e por isso mesmo, o exercício de ver e rever fotografias antigas minhas acaba por ser uma espécie de overdose de narcisismo. Ora, isto não leva a que não me apeteça ver mais fotografias dessa época, mas acabou por acontecer. Talvez porque o narcisismo já teve os seus dias de glória. Ou então porque conheço essas fotografias de cor; tenho-as tão presentes que sou capaz de as descrever de olhos fechados (e acabo de me lembrar de uma em que tenho 16 anos - estou a tentar invocar o fantasma do Natal adolescente passado - e da impressão ao olhar para aquela imagem. Não que aquela rapariga seja uma estranha, mas há certezas aos 16 que... se confirmam passados milhares de anos! :-)). Ou seja, as imagens despertam lembranças com impressões e sentimentos. E depois depende: às vezes isso é bom, outras vezes, doloroso. A f. fala da passagem no tempo num rosto e de ser possível vermo-nos ao espelho sem sobressaltos, e de assim nos reconciliarmos com o passado, inclusivamente com um passado genético. De vermos todas as fotografias antigas em paz, por assim dizer. Mas é preciso mesmo vê-las? E precisamos de ver o que fomos para saber o que somos? Na verdade, sempre tive mais curiosidade fotografias de pessoas que não faziam parte do meu dia-a-dia infantil, e que apareciam nas tais fotografias em casa dos avós. Quem eram aquelas pessoas, perguntava à minha avó. E, mesmo depois de saber, pedia-lhe para repetir. Eram horas e horas nisto. E a avó contava como se fosse a história dos Três Porquinhos. É uma boa memória do Natal passado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:22

The Pogues - Just One Of Those Things

por Carla Hilário Quevedo, em 25.10.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:44

Jane Monheit - I Should Care

por Carla Hilário Quevedo, em 25.10.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:31

Jane Monheit and Michael Bublé - I Won't Dance

por Carla Hilário Quevedo, em 25.10.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:29

Too Marvelous For Words

por Carla Hilário Quevedo, em 25.10.08

 

Com um breve momento de sapateado. Que descoberta! E depois, quase sem se mexer, o demasiado maravilhoso Frank Sinatra. Uau!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:18

Anger management

por Carla Hilário Quevedo, em 25.10.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:56

Eu hoje acordei assim...

por Carla Hilário Quevedo, em 25.10.08

 

Eva Mendes

 

- ... estava a ver que nunca mais telefonava.

- Pilar, no Século I não há telefones.

- Não levou o telemóvel?

- Também não há rede, nem operadoras; olhe, nem facturas.

- E estava calor, Charlotte?

- Uma brasa de loucos. O Século I fica mesmo ao pé de Delfos. Uma vez ia morrendo com uma insolação mesmo junto ao templo de Apolo.

- Junto àqueles pedregulhos enormes onde os gregos se sentam e bebem Coca-Cola e depois deixam lá as garrafas vazias?

- Isso é na Acrópole. E por falar em Acrópole, estou muito desgostosa, como sabe.

- Eu também, Charlotte.

- Isto devia ser proibido. Aliás, na verdade, é.

- Como assim?

- É um crime blogosférico dos mais graves: quem acabar um blogue magnífico, original, criativo, livre, bonito, inteligente, e, como se fosse pouco, com muita graça passado apenas um mês da sua existência será punido com uma pena de prisão efectiva num blogue colectivo particulamente conflituoso, de direita ou de esquerda, depende...

- Ai, Charlotte, que pena mais pesada!

- ... que pode ir até aos três anos. É o que diz aqui num papel. Tenho isto tudo escritinho.

- Mas está zangada?

- Estou tão zangada que só me apetece partir tudo o que tenho aqui à minha volta.

- Mas ouço-a muito calma, que estranho.

- Estranho para si, ora!

- Ah, agora sim. E pareceu-me ouvir um estilhaçar qualquer.

- Foi uma jarra caríssima que escorregou e caiu, não ligue.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:45

Seminário de Orientação I

por Carla Hilário Quevedo, em 24.10.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:25

Zoofilia

por Carla Hilário Quevedo, em 24.10.08

"Definition of Domesticated Animals: Domesticated animals have been modified from their wild ancestors through being kept and selectively bred for use by humans who control the animals' breeding and feeding. Just five major species of large, plant-eating mammals have been widely domesticated by people for use around the world: sheep, goat, cattle, pig, and horse. Another nine minor species have been domesticated for use in smaller numbers or in restricted geographical areas. These minor species include the Arabian and Bactrian camels, llama, alpaca, donkey, reindeer, water buffalo, yak, Bali cattle of Southeast Asia, and mithan (another bovine descended from the wild gaur) of India and Burma. Under domestication cows, sheep, and pigs have become smaller in size than their wild ancestors. Sheep and alpacas have been selectively bred for fleece characteristics, while cows have been bred to increase milk production. Pigs, cattle, and some sheep have been bred for meat quantity and characteristics. Horses have been bred for specialized purposes including work, war, speed, and riding. Breeds or strains of all the major species have been developed and adapted for specific climatic, physical, and cultural conditions and needs." Encyclopedia of Food and Culture, Scribner Library of Daily Life, ed. Simon H. Katz, p. 385.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:22

Estado em que se encontra este blogue

por Carla Hilário Quevedo, em 23.10.08

Clark Gable reading, 1940 - O Silêncio dos Livros. Até já!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:14