Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 23.05.04
O gozo da maldade



Escusado será dizer que na história da Branca de Neve, sempre me pareceu engraçada a figura da bruxa má. Era escusado dizê-lo, mas já disse. Há um prazer e um gozo na maldade que vicia por ter graça. Falo de uma maldade de Cabra (com maiúscula por respeito) se quiserem, a que acho muita piada. Aos sábados à noite, no canal dois, podemos agora ver uma série de humor inglesa chamada Nighty Night, escrita pela brilhante Julia Davis (lembram-se de Human Remains?), e que se concentra na maldade da protagonista. Desde contar aos vizinhos que o marido morreu com cancro, quando este está internado no hospital e a melhorar, a fazer a vida negra à vizinha condenada a viver numa cadeira de rodas, porque está obcecada pelo marido dela, Jill Farrell é uma personagem fascinante. Nighty Night é bom e vicia. Nunca mais é sábado!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:16