Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 31.08.03
Tenho seguido com muita atenção os escritos do Retórica e Persuasão, um blogue muito cuidado, com um excelente tom e, como se não bastasse, útil e informativo.



Gostaria de fazer três perguntas ao Américo de Sousa:



1. a ambiguidade é um erro?

2. Se seguirmos todos os passos na escrita, por exemplo, de um encómio, podemos ter uma garantia de que os nossos leitores serão convencidos?

3. Será a Retórica uma espécie de tentativa de normalização do discurso?



Sim. Foi a cereja Wittgenstein que o Américo colocou no seu blogue que me levou a escrever este post. Que bom exemplo de eloquência! Lembrei-me de mais dois excelentes exemplos de eloquência que li recentemente em Wittgenstein's Poker. Confrontado com as preocupações interpretativas de Rudolf Carnap, o filósofo austríaco terá dito: "Se não lhe cheira, não o posso ajudar. Ele simplesmente não tem nariz." Mas a ruptura terá chegado com Wittgenstein a acusar Carnap de plágio e com a frase demolidora: "Não me importo que um rapaz roube as minhas maçãs, mas importo-me que ele afirme que lhas dei." E assim se constrói a autoridade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:35