Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 27.05.07
Caracóis, sandálias e traições (2)



Houve várias coisas magníficas neste episódio: a cabeça de Erastes Fulmen atirada para debaixo de um móvel qualquer, tum, tum; Octávio exige o dinheiro que lhe foi deixado por César, para que possa pagar os 75 denários a cada plebeu; Voreno que não se suicida porque Dis é que sabe quando chegou a sua hora; Marco António a delegar em Voreno a responsabilidade pela crise no Aventino; outra vez a cabeça de Fulmen a apodrecer, cheia de moscas e Tito Pulo a dizer a Marco António que Voreno sempre que olha para aquilo fica mais consolado (eu por acaso percebo, tem graça); Tito pulo pede a Voreno que não ande a dizer que é filho de Hades porque os deuses não gostam dessas coisas (ah, pois não gostam, não); Servília diz a Cícero que Bruto deve voltar a Roma, mas Cícero - que mal tratado é na série, como um cobarde repugnante - diz que é melhor não; Octávio, farto de esperar por Marco António, pede um empréstimo de três milhões de denários e entra na vida política, e a sua decisão enfurece Marco António - Átia escolhe não apoiar o filho (este comportamento de Átia merece reflexão); finalmente, na caravana de Octávio, de partida para a Campânia, encontramos os filhos de Voreno, bastardo incluído. São várias coisas magníficas, como vêem, mas depois há duas extraordinárias: o par de estalos de Cleópatra a Marco António e uma cena brevíssima com uns criminosos no Aventino a torturar outros criminosos metendo-os nuns sacos e mergulhando-os na água de uma fonte (antes de chegar a trégua sagrada). Sobre esta cena dos sacos, lembro-me de um castigo que consistia em meter o culpado de algum crime num saco de sarapilheira na amena companhia de um macaco, um galo e uma serpente e atirá-lo ao Tibre. Se sobrevivesse, tudo bem, se não, então era porque Dis não queria mesmo que continuasse a sua vida de ladroagem e crime. Mas tenho de verificar. Nesta cena, só vi serpentes mas o princípio era o mesmo. O par de estalos é soberbo. Nota máxima para a execução técnica logo seguida de nota máxima para a coreografia. Parte de trás da mão primeiro com uma medida de força suficiente para marcar uma posição e desarmar Marco António, e regresso com a palma da mesma mão no outro lado da cara com a mesma medida de força. Em não mais de três segundos, a questão fica resolvida sem dramas desnecessários, justificações ou lamentações. Trás, trás e pronto. "It is not allowed to touch."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:33