Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Carla Hilário Quevedo, em 14.07.03
Nos momentos de grande tristeza sinto-me dormente. Como se estivesse entre cá e lá, seja lá o que isso quer dizer. Fico pequenina, toda encolhida à espera que passe. Na grande tristeza anula-se a hipótese de distância e por isso só se pode pensar nela num intervalo, depois de um enxugar de lágrimas. Na grande tristeza há interrupções: limpam-se lágrimas, assoam-se narizes. Nesses intervalos, procuro a distância que me pode safar. O tempo que demoro a encontrá-la é quanto dura o momento de grande tristeza. Aproveito os intervalos para percebê-la e para assim conseguir adiá-la.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:05