Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



'Alright, alright, alright '

por Carla Hilário Quevedo, em 11.03.14

 

A hora adiantada da cerimónia não me permitiu ouvir bem o discurso de agradecimento de Matthew McConaughey, vencedor do Óscar de Melhor Actor pela sua interpretação em O Clube de Dallas. Felizmente, existe o YouTube. O que de madrugada me parecera um discurso errático, à tarde mostrou ser um agradecimento racional a Deus, à família e, com graça, a um herói que perseguia, que era ele próprio daí a dez anos. A Deus agradeceu por lhe dar a certeza de não estar sozinho, à família, uma fonte de força e orgulho, por lhe ter ensinado a respeitar-se a si mesmo e aos outros. Quanto ao herói que gostaria de encontrar, esclareceu que esse herói era ele próprio, sempre daí a dez anos. Porém, a ideia de se projectar no futuro não seria possível sem aquele sentimento de gratidão tão profundo que anunciara antes. Era por ser grato pela sua vida que podia aspirar àquele herói, que, bem o sabia, lhe escaparia sempre. Foi um discurso corajoso e notável.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 7-3-14

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:28