Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dar à costa

por Carla Hilário Quevedo, em 29.07.14

Nem todos os acontecimentos que nos pareciam impossíveis até acontecerem são horríveis como o desaparecimento de um avião comercial ou o abate de outro por um míssil. É o caso do estranho aparecimento de milhões de peças de Lego nas praias da Cornualha. Em 1997, o navio Tokio Express foi atingido por uma onda de proporções gigantescas e 62 dos contentores que carregava caíram para o mar. Num desses contentores seguiam 4,8 milhões de peças de Lego em direcção a Nova Iorque. Nada mais se soube dos restantes contentores mas quase 20 anos após o sucedido, ainda há pecinhas de Lego a aparecer naquela zona e é possível que, por fenómenos de vagas e marés que me escapam, continuem a aparecer por muitas mais décadas. Há uma página de Facebook para quem as coleccione: Lego Lost At Sea. O fenómeno traz dois ensinamentos. Primeiro, confirma-se que o plástico não é reciclável de maneira nenhuma e segundo, nada parece ficar para sempre debaixo do mar.

 

Publicado na Tabu, Cinco Sentidos, 25-7-14

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:48