Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Eu hoje acordei assim...

por Carla Hilário Quevedo, em 22.06.14

Lizzy Caplan, bem acompanhada

 

... quando falo de três horas de reunião não estou a brincar. Não é uma expressão; é mesmo uma realidade, sim, que ainda existe, embora menos, felizmente. Mas é mesmo das três da tarde às seis, se não mais. E, não, não é possível sair, ir comprar cigarros e nunca mais voltar. Ainda há demasiadas pessoas a funcionar assim em Portugal. Yada, yada e a baixa produtividade, pois. Mas falemos de coisas importantes. Magnífico último episódio da quarta temporada de Game of Thrones. Estava na hora de matar o pai. Tanta coisa com a família, o legado, para Tywin Lannister acabar daquela forma indigna. George RR Martin nao tem respeito por nada, que maravilha. Gostei também do pormenor de Ygritte ser morta por uma criança inexperiente de arco e flecha na mão, por alguém de fora. É sempre o maior perigo, onde está o maior grau de imprevisibilidade e a mais rápida solução. A mãe dos dragões tem uma série de chatices para resolver e são problemas que surgem de uma ideologia que Martin apresenta como ingénua e perigosa: todos são iguais, todos podem ser "libertados". E os dragões, como é da sua natureza, só fazem asneiras. Entretanto, Fargo parece que desiludiu no último episódio. Ainda não vi, não quero saber e não acredito. Mas basta de homicídio. Venha a segunda temporada de Masters of Sex.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:01